segunda-feira, 18 de junho de 2012

Internet Explorer 7, loja online cobra mais com IE7

Internet Explorer 7, loja online cobra mais a utilizadores de IE7. Taxa extra é aplicada exclusivamente a browser da Microsoft.


Uma loja online da Austrália cobra uma taxa extra a utilizadores do browser da Microsoft, o Internet Explorer 7. De acordo com a notificação da Kogan, a taxa extra - de 6,8% - é cobrada pelo montante de tempo necessário para que as páginas apareçam correctamente no IE7.

O website da loja online australiana recomenda, entretanto, a utilização de outros browsers populares de forma a que os utilizadores evitem pagar a taxa extra - Google Chrome, Apple Safari, Mozilla Firefox e Opera Web Browser.


Com um certo sentido de humor à mistura, os visitantes do website que efectuarem compras através do IE7 são ainda alertados pela loja: parece que o seu administrador de sistema esteve em coma durante os últimos 5 anos e ainda continua a usar o IE7. Para fazermos da Internet um lugar melhor, vai ser-lhe cobrado uma taxa de 6,8% pelas suas compras, afirma.

O que acham os leitores? Que browsers é que utilizam frequentemente?



terça-feira, 5 de junho de 2012

Internet: sistema de endereços de IP será atualizado na quarta


A internet terá uma atualização importante durante esta semana, sem que seus usuários se deem conta - se tudo correr bem. A mudança está prevista para as 00h01GMT (21h01 em Brasília) da quarta-feira e autorizará o aumento dos números de IP na rede - hoje são mais de 4 bilhões de combinações possíveis.
A operação é conhecida como "lançamento mundial de IPv6", quando os operadores e provedores de internet passarão permanentemente ao novo sistema, eliminando gradativamente o antigo IPv4.
O novo sistema está sendo introduzido em razão do esgotamento do número de endereços de IP existentes. A transição total levará anos, e os antigos aparelhos e redes de IPv4 continuarão funcionando normalmente.



"A maior parte dos usuários não deve se dar conta de nada", afirma Leo Vegoda, da Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números (Icann, na sigla em inglês), que gere o sistema de endereços da rede. No entanto, ele assinala que os usuários podem enfrentar alguns contratempos.
O protocolo IPv4 não dispõe de números de IP suficientes para que cada aparelho tenha o seu. Por isso, vários usuários compartilham um mesmo endereço, o que se supõe que possa atrasar algumas atividades realizadas pelo computador. No entanto, no período que o IPv4 e o IPv6 coexistirem, as conexões vão ter que encontrar um caminho compatível entre os sistemas, o que pode causar idas e vindas que tornam mais lento o acesso a uma página.
Johannes Ullrich, do Instituto Tecnológico SANS, considera que em alguns casos possa se constatar perda em velocidade e confiabilidade ao permanecer no IPv4. "Mas, ao fim, isso deve tornar a internet mais fluida".
Grandes companhias de internet, como Google e Facebook, animam as empresas e as pessoas a fazerem a transição, afirmando que fará com que a comunicação entre diferentes aparelhos de uma rede particular ou profissional se torne mais eficaz.


Fonte da cópia =P: http://tecnologia.terra.com.br/noticias/0,,OI5811232-EI12884,00-Internet+sistema+de+enderecos+de+IP+sera+atualizado+na+quarta.html

WhatsApp e Instagram são usados para golpe no Android


A empresa de antivírus ESET acaba de publicar seu relatório mensal sobre as principais ameaças à segurança da informação na América Latina. Segundo a companhia, no mês de maio os destaques forams os ataques voltados ao sistema operacional Android.



De acordo com os pesquisadores, a plataforma enfrentou duas principais ameaças: uma aplicação que aproveita uma vulnerabilidade do aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp Messenger e um novo caso de Trojan de SMS.

Apesar da vulnerabilidade do WhatsApp já ter sido identificada há quase um ano, em maio foi descoberto um aplicativo malicioso batizado de WhatsApp Android Sniffer. A ferramenta permite que pessoas mal intencionadas acessem todas as mensagens trocadas pelos usuários do serviço, quando os mesmos utilizam uma conexão Wi-Fi.

"A melhor forma dos usuários evitarem esse tipo de ataque é não utilizar o WhatsApp Messenger em redes Wi-Fi públicas”, pontua Camillo Di Jorge, country manager da ESET Brasil.

A companhia também identificou um golpe voltado ao popular aplicativo Instagram para smartphones Android. Trata-se de um Trojan de SMS que tenta persuadir o usuário a se inscrever em um serviço Premium, no qual ele autoriza o envio de mensagens curtas de texto.

Em maio, o sistema do Google também foi vítima do primeiro malware que utiliza estratégias de drive-by-download  para Android. Esta é uma técnica que permite infectar usuários que simplesmente acessam um site projetado especificamente à plataforma. Quando o usuário navega na página maliciosa, ele automaticamente começa a baixar a ameaça, que é identificada pelo sistema operacional como uma atualização que deve ser autorizada.

“Desde o final de 2011, a ESET tem alertado para o aumento da incidência de ataques voltados a smartphones e tablets que utilizam o Android”, pontua Camillo Di Jorge. “Este é um movimento natural, relacionado ao próprio crescimento no número de usuários do sistema operacional para dispositivos móveis, o que chama a atenção dos cibercriminosos”, conclui.

Na loja de aplicativos do Android, a Google Play, é possível baixar antivírus para o sistema operacional.


Fonte da cópia =P: http://olhardigital.uol.com.br/produtos/seguranca/noticias/whatsapp-e-instagram-sao-usados-para-golpe-no-android

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Adicionando novo HD no CentOS 5.8 com LVM


Com este tutorial você poderá adicionar um novo disco e aumentar o tamanho de uma partição qualquer. Desde que o LVM já esteja devidamente configurado e em uso.

Você tem que estar logado como root.

1 - Desligue a máquina;
2 - Conecte o novo HD;
3 - Ligue novamente a máquina;

4 - Digite o comando df -h para conferir o que vc já tem em uso e montado;

5 - fdisk -l (éle de limão) para descobrir o nome do novo dispositivo,
/dev/sd(alguma coisa. pode ser b, c, d, etc...)

6- Digite fdisk /dev/sd(alguma coisa), vamos supor que é /dev/sdc
Então o comando seria fdisck /dev/sdc
A sequencia de parâmetros para o fdisk será:
p
n
p
1 (o número um / 1)
1 (significa o primeiro cilindro do HD)
789 (aqui eu coloquei um número aleatório, vc deve informar o número que indica o último cilindro do HD. O fdisk vai te falar qual é )
t
8e
p
w

7 - pvcreate /dev/sdc1 (isso adiciona o novo dispositivo no LVM)

8 - vgdisplay (para se informar dos grupos de dispositivos que vc tem no LVM)

9 - vgextend Grupo /dev/sdc1 (isso adiciona o novo dispo no grupo; vc tem que adicionar no mesmo grupo da partição que vc quer aumentar)

10 - vgdisplay para ver quantos Free PE / Sixe vc ganhou com o novo disco.

11- cat /etc/fstab Para revisar o volume logico usado na partição que deve crescer

12 - lvresize -l +nº de Free PE /dev/Grupo/volume logico da partição que deve crescer

13 - lvdisplay Para conferir que o LV Size aumentou

14 - umount /caminho da partição que vai aumentar

15 - e2fsck -f /dev/grupo/volume da partição que vai crescer

16 - resize2fs /dev/grupo/volume da partição que vai crescer

17 - mount /caminho da partição que vai aumentar

18 - df -h Para conferir o novo tamanho na partição que vc precisava aumentar.