domingo, 27 de novembro de 2011

Wi-fi de sucata. Ou meio que ecologicamente correta.


Laboratório do MIT usa materiais baratos para espalhar internet na África e Oriente Médio. E isso pode chegar à sua casa

por Ingrid Tavares

Editora Globo


ALTAS CONEXÕES: O afegão Said-Jalal (esq.) e o pesquisador americano Steve A., integrantes do projeto, juntos a uma parabólica montada por eles
Uma tela de galinheiro, pedaços de madeira e uma bateria de carro ajudam a levar internet sem fio para locais remotos. Com um roteador qualquer e esse monte de entulho, pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, o MIT, ensinam moradores do Afeganistão e do Quênia a montarem antenas e criarem redes abertas de wi-fi. Tudo começou há dois anos na cidade afegã de Jalalabad. “O fornecimento de internet no local é irregular. A velocidade é baixa e há quedas”, diz a coordenadora do projeto, Amy Sun.

Para fazer a gambiarra, é preciso improvisar uma antena parabólica e acoplar a ela um roteador comum. O aparelho envia o sinal por radiofrequência até uma segunda antena, também rudimentar. Quanto mais parabólicas instaladas, maior a nuvem de sinais e mais gente pode se conectar. Hoje, o projeto tem 45 centrais de distribuição de internet livre no Afeganistão e 50 no Quênia, onde a iniciativa já conectou três cidades inteiras. Mas Amy Sun quer espalhar mais as redes — e até ensina você a fazer uma. Confira o passo a passo abaixo.


GERAÇÃO MACGYVER 2.0 | Arregace as mangas para montar sua rede wi-fi em casa
Editora Globo
Baixe no site do projeto (fabfi.fablab.af/distribution) os moldes para a antena. Risque-os em uma superfície lisa de madeira.
Corte a madeira seguindo as formas marcadas. Use o triângulo como base. Encaixe os arcos na perpendicular, como mostra o desenho.
Grampeie uma tela de arame na base superior de madeira, de forma que cubra toda a parte interna da antena. Estique-a bem para não formar ondas.
Coloque o roteador dentro de um plástico (para se precaver de chuvas) e apoie-o em um dos arcos. Configure-o seguindo as instruções do fabricante.
Ligue o roteador na bateria do carro. Vire sua pequena antena para o centro do arco. Mire a parabólica para outra como ela. O sinal viaja até 10 km.

Totalmente copiado de: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI268194-17933,00-WIFI+DE+SUCATA.html

Esta ai o link clicável, todos os direitos são da revista Galileu. E se me incomodarem eu apago, fazer oque.

Já não se sabe mais como apelar.

Mias um post para dar uma espetada na "Mico$sof", hehe.

Os caras estão precisando aumentar a equipe de desenvolvedores, e ao invés de ter a honra de buscar indicações por meio dos próprios funcionários ou com recrutamento, os caras plantam uma churrasqueira em frente aos escritórios de seus maiores concorrentes e nelas tostam fatias de bacon.

Que coletar funcionários dos concorrentes é um meio muito eficiente e barato de conseguir profissionais com as qualidades esperas, isso é verdade, e acho que é comum até por aqui. Mas chegar a esse ponto é ridículo. O que vão conseguir? Digo que vão conseguir um pessoal tipo Esaú que vende a primogenitura por um prato de lentilhas.

Aquele povo é estranho mesmo, deixa pra lá.

Fonte: http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/microsoft-usa-bacon-para-recrutar-desenvolvedores

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Instalação do windows8 vai ser em 11 cliques. Uma novidade tardia.

Já tem uns 5 anos ou mais que muitas distribuições do Linux tem uma instalação simplificada, com poucas perguntas e poucos cliques. Tão poucos que sinceramente, nunca coitei. Além de não ser preciso aquela adorável caça aos drivers, exceto para hardwares pouco comuns.

Outra "grande" novidade é a disponibilização de uma imagem ISO para download.

Isso só mostra que a Micro$oft se ligou no grande potencial que são as ideias dos usuários/comunidade.

Agora pra ficar forte mesmo, só falta distribuir de graça e então cobrar por serviços de auxilio e manutenção como é feito no universo open source há muitos anos. E com isso também deixar de ser conivente com a ilegalidade de quem usa o SO da M$ de maneira irregular.

De qual quer forma estes detalhes só mostram que o conceito open source e suas pequenas vertentes são sim o futuro da informática, ou seja, a colaboração.

A inspiração desse pequeno poste vem daqui:
http://www.tecmundo.com.br/windows-8/15634-microsoft-promete-que-o-windows-8-podera-ser-instalado-com-apenas-11-cliques.htm

PS: Ô pessoal do tecmundo.com.br, libera logo os meus comentários via facebook

sábado, 12 de novembro de 2011

Ao limpar o histórico de seu browser, ele realmente limpa tudo?


Estive fuçando as configurações do browser do Google, o Google Chrome, e na tela aonde se limpa o histórico de navegação encontrei o seguinte link:
http://www.macromedia.com/support/documentation/br/flashplayer/help/settings_manager07.html
Print da tela do google chrome a qual me refiro:




Ao acessar este link, será disponibilizado no site da Adobe, uma ferramenta que possibilita configurar o espaço que os sites com flash poderão usar em seu computador bem como permitir ou não que sites armazenem e coletem informações de seu computador.
Interessante não? Até então eu desconhecia esta ferramenta de configuração do Flash.
Mas o que me chamou a antenção mesmo é que esta ferramenta me mostrou que havia muito histórico que os browsers que uso, FireFox, Google Chrome e Epiphany não estavam limpando.
Espero que a informação tenha sido útil.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

11:11 11/11/11

Eu avisei via twitter que ALGUMA coisa ia acontecer.
E aconteceu, este post foi publicado =D
11:11 11/11/11
muahahahaha